27 de setembro de 2008



Hoje eu percebi
Que venho me apegando às coisas
Materiais que me dão prazer
O que é isso, meu amor?
Será que eu vou morrer de dor
O que é isso, meu amor?
Será que eu vou virar bolor?
Venho me apegando ao
passado
E em ter você ao meu lado
Não gosto do Alice
Cooper
Onde é que está meu rock'n'roll?
Eu
acho, eu vou voltar pra Cantareira
Venho me apegando aos
meus sonhos
E à minha velha motocicleta
Não gosto do
pessoal da Nasa
Cadê meu disco voador?
Onde é que está
meu rock?
Onde é que está meu rock'n'roll?

Arnaldo Baptista



"Esta consultando um terminal o José Ganso, que vi certa noite na calçada do Ministério da Fazenda, na Avenida Prestes Maia, carregando pesada mala no ombro, na direção da Estação da Luz. Acolhi-os; ele e mala, no meu carro, e os levei ao seu destino. Durante o trajeto, ele me disse que não tinha o costume de tomar táxis porque não podia ouvir o clique da mudança dos números do taxímetro sem sentir um aperto no coração."

Trecho do texto "Estágio Para o Manicômio", do livro "Faça Fortuna na Bolsa (Antes Que Seja Tarde)" de Décio Bazin, publicado em 1992. "Estágio Para o Manicômio" encontra-se na íntegra na bolg da ATIVA:
http://ativainvest.blogspot.com/2008/05/estgio-para-o-manicmio.html


Dia desses me dei conta disso. Estou me apegando demais as coisas materiais que me dão prazer. As vezes sito um aperto no coração a cada centavo gasto.

Tenho que policiar-me para não tornar-me uma criatura mesquinha e escravo do vil metal!!!


Claro que dinheiro é importante. Importantíssimo. Porém, ele não nos pertence. Dinheiro é patrimônio do Governo. Cabe a nós sabermos administrá-lo. Quando você deposita qualquer quantia no Banco, parte dele imediatamente ela é redepositada no Banco Central, para que o Governo exerça sua Política Monetária. Outra parte o banco empresta à outro cliente; que fará os mais diversos usos, dos quais, uma parte retorna ao Governo na forma de impostos. Outra parte, o banco empresta ao próprio Governo, através da compra de Títulos da Dívida Pública. Quando tínhamos a CPMF, uma alíquota já ia direto para o Governo. É mais ou menos aquela máxima Bíblica: "viemos do pó e ao pó voltaremos". Quem emite o dinheiro é o Governo, quem sempre o obtém de volta (ou parte dele).



Claro, isso não significa que tenhamos que sair gastando a torto e a direito. Guardar é importantíssimo, pensar no futuro é impresscindível!! Investir é preciso.



Quem poupa tem. Quem poupa, ajuda o País!!

Mas, nem tanto ao mar, nem tanto à Terra!!!

1 Comment:

Denise said...

Equilíbrio é sempre fundamental.. Pena que muita gente não consegue lidar com isso..
Quanto aos meus gatos, eles vieram no caminhão de mudança.. Chegaram antes da gente!! hehehehehe
bjsss